12 de mar de 2010

É interessantíssimo como a vida se mostra.
Hj é sexta feira, aquela velha frase que diz q hj é dia de cerveja, não está colando pra mim.
Até me animei pra dar uma volta na Lapa, mas já bateu o desanimo.
Amanhã vou voltar a praia de nudismo, tem um tempinho q não vou lá, qro sentir o vento!
Visitei minha cidade, Rio das Ostras, fiquei por lá de domingo a quinta feira. Foi maravilhoso estar perto da minha família e dos meus amigos, aquela depressão de alguns dias atrás sumiu! Me sinto mais vivo. E tudo melhorou com essa viagem até meu namoro q andava meio pra lá e meio pra cá! Bateu saudade, nos dois.
Parece fútil, mas vou falar de Big Brother. Enfim, mas um ganhador irritante nesta edição, Marcelo Dourado, quem diria!!!! Todas as pesquisas apontam o brutamontes preconceituoso como vencedor da bolada! O Povo gosta mesmo de colocar pessoas erradas para prêmios, e olha q ele já teve a chance dele e desperdiçou. Mas isso não é só no show da tv, na política é igualzinho, digo pelo Arruda, governador de Brasília, já roubou uma vez, saiu, e o povo votou de novo, tá ele lah pra roubar ainda mais! É assim q as coisas são, adianta reclamar?!
Hoje, assistí "Crepúsculo", tudo bem que eu já to meio atrasado né, já passa até na tv, e já tem a continuação, mas um dia teria que ver. Oooolha, eu vou falar o q achei do filme. "Sessão da Tarde", isso define bem o que achei do filme!
Bom, é isso por hj.
Amanhã estarei lá como vim ao mundo, pertinho das famílias adeptas ao naturismo.
Beijos!

6 de mar de 2010

...


Aqueles momentos de complexidade sentimental estão de volta.
O que fazer?
Voltar ao tratamento? Ou confiar em sí mesmo?
Noites sem dormir, falta de ar, dores de cabeça sem explicação, e a profunda tristeza é o maior de toda essa liga de sentimentos que não levam a nada.
Ficar deitado todo o dia, em companhia dos programas de tv. Pensava ele que a tv lhe confortava. Ficava aéreo, fora da realidade. Fugia de responsabilidades, e de sí mesmo.
Fora de casa sentia-se normal. Trânsito, luzes, olhares e beijos.
Em casa voltava ao seu marasmo, a vida que lhe trazia a palavra "infelizmente" a tona, ao dia a dia!
Descrever a mescla de sentimentos seria inútil, algo faltaria.